Quem somos?

Minha foto
Serpa, Beja, Portugal
Somos 3 alunas do 12º ano, da área de Ciências e Tecnologias, que estamos a trabalhar, no âmbito da disciplina de Área de Projecto, o tema Alimentação e Saúde. Escolhemos este tema pois cada vez a alimentação tem um papel mais importante na nossa vida, e está intimamente ligada à saúde. Resolvemos então explorar os problemas de saúde ligados à alimentação, desde a diabetes até aos distúrbios alimentares. Esperamos com este blog esclarecer algumas dúvidas que surjam, bem como informar as pessoas dos riscos de uma má alimentação.

02/04/08

Estômago


Morfologia:


A forma do estômago varia consoante a quantidade de alimento presente na cavidade gástrica. Habitualmente, o estômago apresenta a forma da letra J. Num indivíduo mede aproximadamente 25 centímetros da cárdia até ao piloro e o diâmetro é de 12 centímetros.







O estômago é constituído por várias partes:
· O fundo - porção mais alta
· O corpo do estômago - porção do estômago entre o fundo e antro
· O antro que vai do corpo do estômago até ao piloro
A fracção inicial do estômago logo depois do esófago chama-se cárdia.
Através do piloro o estômago comunica com a parte inicial do intestino delgado – o duodeno.A parede do estômago é constituída por fibras musculares.


Funções:

O estômago tem sobretudo uma função mecânica. Faz o armazenamento dos alimentos e, através de movimentos de vaivém, mistura-os e transforma-os em pequenas partículas que irão facilitar a digestão. A digestão é a transformação dos alimentos, de maneira a poderem ser absorvidos.

1. A Digestão Mecânica

Como o nome sugere, esta digestão não envolve sucos digestivos. O alvo da digestão mecânica é aumentar a superfície de contacto entre o alimento e os sucos.
Pode notar-se que com o aumento da superfície de contacto, a velocidade da quebra também aumenta. Também é importante observar que a mastigação não transforma macromoléculas em micromoléculas, este feito é realizado apenas pelas enzimas.

2. Digestão Química

Só são capazes de passar pelo intestino as micromoléculas, e nenhuma mastigação ou qualquer digestão mecânica é capaz de transformar as macromoléculas que ingerimos em micromoléculas. Essa função está destinada às enzimas contidas nos sucos digestivos.
As enzimas são um tipo de proteína e são específicas, ou seja, cada enzima age sobre uma determinada substância. Algumas enzimas são produzidas na forma inactiva. Ao entrar em contacto com substâncias específicas (como outros sucos digestivos ou, no caso do estômago, o ácido clorídrico), a enzimas torna-se activa e começa a “trabalhar”.


As enzimas possuem um desempenho diferente dependendo da temperatura e do pH. O pH indica se uma substância é ácida, neutra ou básica. Abaixo um diagrama com os valores do pH:
Existem muitas enzimas diferentes, abaixo, uma relação com as principais enzimas, seu local de produção e sua função:


- PTIALINA: Segregada pelas glândulas salivares situadas na boca, age sobre o amido. Actua melhor em pH neutro ou ligeiramente alcalino (pH de 6,2 a 7,2).

- AMILASE SALIVAR: Também é segregada pelas glândulas salivares e também age sobre o amido. Actua melhor em pH neutro ou ligeiramente alcalino (pH de 6,2 a 7,2).

- PEPSINA: Produzida pela própria parede do intestino, ela age sobre as proteínas. O seu melhor desempenho ocorre em pH ácido. A pepsina é produzida na forma inactiva, que ao entrar em contacto com o HCl (ácido clorídrico) torna-se activa.

- TRIPSINA: Protease (enzima que age sobre proteínas) produzida pelo pâncreas na forma inactiva. Ao entrar em contacto com uma enzima produzida pelas células da parede do intestino delgado chamada enteroquinase, torna-se activa. Como as outras enzimas do pâncreas e as do intestino delgado, trabalha melhor em pH alcalino.

- QUIMOTRIPSINA: Praticamente igual a tripsina. É liberada pelo pâncreas na forma inactiva e trabalha melhor em pH alcalino.

- AMILASE PANCREÁTICA: Como o nome diz, é produzida pelo pâncreas e actua sobre o amido (formado por várias moléculas de glicose) transformando-o em maltose (duas moléculas de glicose).

- SACARASE: Actua sobre a sacarose (como o nome sugere) e a transforma em glicose e frutose. É produzida pelo intestino delgado (pelas células da parede) e como as enzimas do pâncreas, actua melhor quando o pH é alcalino.

- LACTASE: Também é produzida pelo intestino delgado e age sobre a lactose transformando-a em galactose e glicose. Juntamente com as outras enzimas produzidas pelo intestino delgado actua melhor em pH alcalino.

- MALTASE: Actua sobre a maltose (formadas na digestão do amido) e a transforma-a em duas moléculas de glicose. É produzida pelo intestino delgado.

Além das enzimas citadas acima, existem ainda outras.
Existe também uma outra substância, que não é uma enzima, chamada bílis. A bílis age como um emulsionante que vai transformar as macromoléculas de gordura (lipídos) em moléculas menores (não a ponto de serem micromoléculas). Assim, a actuação da bílis é física e muito parecida com a dos dentes.


2 comentários:

rafala disse...

tava procurando isso que nem m loca brigadu vcs fazem um trabalho muito bom

roberto disse...

tomo diariamente asperina prevent
tenho muita asia, para comoenssar
usu tambem diariamente patoprzol
20 mg, mas estou tendo carencia de
vitaminas do comçlexo B e a C.
qual a alimemtaçao que poderia adotar pARA ELENINAR O PAMTOPRAZOL.
UM GANDE ABRAÇO- Roberto bonaparte.
Email- robertobonaparte@hotmail.com